sábado, 17 de novembro de 2007

América Futebol Clube


Passado de glorias, presente difícil, futuro incerto.

Fundando em 12 de Abril de 1914, ainda com o nome de João de Barros Futebol Clube, em decorrência de ter surgido numa casa situada na avenida de mesmo nome, e hoje chamado de América Futebol clube, quase foi o primeiro penta campeão pernambucano, ainda em agosto de 1915 passou a ter a denominação de atual a pedido do desportista Belfort Duarte, ligado ao América carioca, que veio ao Recife buscar apoio para poder fundar a Federação Nacional de Esportes, antecessora da antiga CBD.

Situada atualmente na Estrada do Arraial, no bairro de Casa Amarela, possui seu uniforme as cores verde da camisa e meias verdes, seu mascote é o periquito, foi seis vezes campeão estadual e figurou durante muito tempo na primeira divisão estadual e no cenário nordestino, tendo participado e sido campeão também do troféu nordeste de 1923, além das taças municipais, e suas participações nas divisões nacionais, como em 1972, 1989 e 1991 quando estive na segunda divisão do campeonato brasileiro de futebol, além da traça de prata de 1981 e da terceira divisão em 1990.

Contudo o presente do América tem sido difícil já a alguns anos na segunda divisão de Pernambuco e fora das disputas regionais e nacionais, na segunda divisão desde de 1995, o clube encontra-se hoje inclusive fora do pernambucano da série A 2 por dificuldades financeira segundo informações de seus dirigentes, onde ainda é possível verificar pouca coisa sendo feita para mudar essa situação do glorioso América, onde nesse processo é possível destacar a tentativa de um grupo de torcedores pernambucanos, que sequer virão o América em seus tempos de gloria contudo nem por isso menos apaixonados que pensam em criar uma associação de amigos do clube e querer se juntar a diretoria e a comunidade pernambucano no tento de ajudar o América, que ele volte a brilhar para que seu futuro possa ser diferente de seu presente e na medida do possível possa dar alegrias só de vê-lo jogar novamente, buscando sempre um passado de glórias, mas acima de tudo construindo um presente diferente para que nosso amado América possa ainda existir num futuro não tão distante.

Curiosidades:

6 vezes campeão pernambucano:

1918, 1919, 1921, 1922(Ano do centenário da independência do Brasil) 1927 e 1944.

10 vezes vice-campeão pernambucano:

1923, 1924, 1930, 1941, 1943, 1945, 1947, 1948, 1950 e 1952.

11 vezes campeão do torneio de inicio:

1921, 1930, 1931, 1934, 1936, 1938, 1941, 1943, 1955, 1967 e 1970.

8 vezes vice-campeão do torneio de inicio:

1920, 1923, 1928, 1937, 1945, 1949, 1958 e 1981.

Vice-campeão da copa Pernambuco de 1997.

Obs.: O torneio de inicio foi promovido durante muitos anos pela associação dos cronistas desportivos de Pernambuco (ACDP)e consistia em confrontos, numa só tarde, entre todos os times que disputariam o Campeonato Pernambucano, servindo de preparação e apresentação dos planteis as torcidas.

Campeão da Taça Recife: 1975

Vice-campeão da Taça Recife: 1982

5 vezes campeão Pernambucano de Juniores:

1962, 1963, 1968, 1977 e 1984.

3 vezes vice-campeão Pernambucano de Juniores:

1960, 1964 e 1992.

Dentre os torneios não oficiais ainda podem ser destacados:

4 vezes Campeão da Liga Suburbana: 1916, 1917, 1918 e 1929.

2 vezes vice-campeão da Liga Suburbana: 1915 e 1920.

2 vezes Campeão da Copa Torre:1923 e 1924.

Vice-campeão da Copa Torre: 1925.

3 vezes Campeão da Taça Casa Amarela: 1926, 1927 e 1928.

Vice-campeão da Taça Casa Amarela: 1929.

Campeão do Troféu Bairro da Boa Vista: 1933.

No seu leque de grandes rivais destacam-se os clássicos:

  • América Vs Náutico – Clássico da Técnica e Disciplina
  • América Vs Sport - Clássico dos Campeões
  • América Vs Santa Cruz – Clássico da Amizade.

No América ainda jogaram atletas de seleção, como Zé Tarço (Brasil) jogou pelo América de 1918 a 1923 e Alberto Salonni (Argentina) que jogou pelo América em 1932, assim como o ilustre Edvaldo Izídio Neto (Vavá) que jogou pelo América em 1948 sem muito destaque tendo se transferido posterior para o Íbis e Sport Club do Recife.

João Cabral de Melo neto e Alexadre Mirinda são dois dos diversos torcedores ilustres do América.

Hino

Salve o América, Campeão do Centenário

Salve o América, o teu nome é um Rosário (bis)

Tens o Verde da Esperança e o Branco da Paz

América, América, por ti eu serei Capaz...

América, América...!!!

4 comentários:

Nilson Vellazquez disse...

odila, ficou massa esse dossiê aí sobre o américa. é triste, mas é isso.
espero que o santinha naum fiqu assim também
uaheae

abraço!

História Sobre o Tempo disse...

Viva o Mequinha

Alvinho disse...

Meu avó era americano, e bem siceramente, o grande probrema do mequinha é o fato que o mesmo não possue um estádio, é um time cigano, hoje joga aqui, amanhã ali e por aí vai... por isso não consegue aglutinar sua torcida, hoje claro a maioria mortas, quem diria meu avó que já morreu a mais de 20 anos!

Anônimo disse...

Gostaria de obter a capa de uma resvista do America - final dos anos 50 - inicio dos 60 - onde foi capa Isaias (foi escrito) Izaias, era meu tio, Isaias Caetano da Silva, vive em Minas Gerais na cidade de Coronel Fabiciano, está com 82 anos, nasceu na cidade de Ribeirão - PE.

Isaias Caetano da Silva

isaias_caetanodasilva@yahoo.com.br